Quarta-feira, 15 de Fevereiro de 2006

Anjo ou Demónio ? SEMPRE O ANJO !!!

Os anjos do corpo – IV

zonas.jpg



Meu infatigável

anjo,

da guarda de meu corpo

São os anjos quem
guardam
os orgasmos

Pastores

Dos rebanhos
– dos ardores
Dos odores do corpo

Hei-de confessar-te
um dia
o meu desejo:

um anjo

que me acaricie devagar o clítoris
as pernas entreabertas
ao meu beijo

Quantas vezes te digo
que te dispo
e depois te lambo

primeiros as asas
e o pénis

e em seguida: o ânus

E o anjo
debaixo
ficou a acariciar o pénis
do anjo que voava
por cima

de manso procurando
o fundo
da vagina

Sou eu que te transformo
de prazer
em anjo do orgasmo

infatigável
suco
da língua

Naquilo que te faço

Com o teu clítoris
de ouro,
és o anjo

mamilos à flor da pele
que tapas com as asas

Os anjos descobrem
a vulva
no mesmo instante

em que sabem
do pénis:

com
as pernas ligeiramente
abertas
e desviando as asas

Despir os anjos
um por um

passando-lhes a língua...

lentamente,
pelo sal do pénis
Sorvendo-lhes em seguida
os sucos da vagina

Penteio com os dedos
os cabelos
deste arcanjo

respirando baixo
o interior macio
das suas pernas

o púbis
deste anjo

O sabor do esperma
dos anjos que imaginam

a-mar

as águas
uterinas

Lambe-me devagar
o céu da boca

como se a voasses

É um púbis de anjo
com pequenas asas

sob:
sobre a doce matiz
matriz
do clítoris

Viro-te anjo
debaixo do meu corpo

cubro-te:
voando – vogando
pelo nada

o teu pénis
direito
no meu púbis

e mais abaixo
a tua vagina alada

Adormeço de ventre
em tuas
asas

deitada ao comprido
no espaço
das tuas pernas

pernas

Cisterna
posta à beira
da sede dos teus braços

Primeiro roço-te
as asas
suspensas pelos teus ombros

imaginando apenas

aquilo que depois
mergulho
e faço:

Traz o anjo
o arrepio
ao corpo todo

um aperto nos
seios
e na vagina

Uma febre incerta
que vagueia
nas asas, nas coxas
e nas veias

Tinha um corpo de
lua
pelo lado da cor e do frio

em desequilíbrio no fio da faca
do orgasmo

O teu corpo,
neste envolvimento
de voo

e de vulva

Meu amor que mergulhas
de vertigem:

Anjo expectante
da vagina

A mistura de mim
com o teu corpo

asas pequenas que estremecem
debaixo do desejo

Não tens noção
de quanto é corpo o corpo
nem desejo

Anjo

Voando sobre
o que é baixo

Sob

Voando sob
o que é por baixo

Tocar-te apenas com
a língua
a cabeça do pénis

como se devagar
lambesse
o meu clítoris

até sentir o orgasmo
trepar-me pelas pernas

Bebem os anjos
a saliva
dos anjos

Pela taça
– exposta –
da vagina

São raríssimas as
asas
que não partem dos seios

a florir nos
ombros

Como um manso púbis
com os seios veios
de sombra

Quando
o clítoris toca
o clítoris dos anjos...

Lambe-me as asas
– disse o anjo
ao anjo mais perto...

dos seus pulsos


* Maria Tereza Horta

publicado por vagueando às 22:13
link do post | comentar | favorito
64 comentários:
De Anónimo a 17 de Fevereiro de 2006 às 06:53
ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh

eu já estava deletando todos que vinham achando que eram repetidos

beijos

Glaura Jane Pessoa Dutra
</a>
(mailto:louradourada@hotmail.com)


De glaura jane pessoa dutra a 16 de Setembro de 2008 às 03:42
página:http://vagueando.blogs.sapo.pt/1994.html?page=7
NÃO ESTOU ENTENDENDO PQ O MEU NOME, E-MAIL E COMENTÁRIO, ESTÃO NESTA PÁGINA, PEÇO COM URGÊNCIA QUE FOSSEM RETIRADOS, CASO CONTRÁRIO , TOMAREI AS DEVIDAS PROVIDÊNCIAS JUNTO AOS ÓRGÃOS COMPETENTES
AGRADEÇO ANTECIPADAMENTE
GLAURA JANE PESSOA DUTRA


De Anónimo a 17 de Fevereiro de 2006 às 02:04
No dia que Maria Teresa Horta escreveu este poema, (poema?), fez um optimo exercicio de masturbação psicologica e foi bem sucedida orgasmicamente, aposto.
Gosto dela e do que escreve e da sua ousadia e falta de preconceitos e pudores biblicos; Anjos querubins e serafins ajudaram-na a ser excessiva.
Do excesso, do que sobra, não gosto como poesia.
Gosto como aperitivo, sobremesa....banquete de Deuses, enfim.....convido-te, tu escolhes o vinho!Fernanda
</a>
(mailto:fernandaragonez@hotmail.com)


De Anónimo a 17 de Fevereiro de 2006 às 01:53
Que loucura de sentidos! Soubesse eu que os anjos andavam neste delirio e já te tinha pedido umas asinhas para amar esvoaçndo no labirinto do teu desejo que pressinto fantastico.
Mas a Maria Teresa Horta é a feiticeira do prazer sensual dito.
És mortal?
teresa
</a>
(mailto:teresa.marta@hotmail.com)


De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2006 às 22:49
E ainda dizem que não se pode saber o sexo dos anjos! Pois agora fica-se sabendo e que são muito atrevidos! beijinhosPoison Girl
(http://apoisongirl.blogs.sapo.pt)
(mailto:a.scorpiona@sapo.pt)


De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2006 às 22:08
Começo a perceber que me encontro muito, por aquirosa maria
(http://paratisomente.blogspot.com)
(mailto:rosamaria455@hotmail.com)


De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2006 às 21:53
Um anjo com o Calor do demónio, é como gosto de pensar que sou...@
(http://www.ditaqueeuescrevo.blogspot.com)
(mailto:ana.miranda@netvisao.pt)


De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2006 às 21:27
Anjos???????
continua com o mesmo estilo....muita sensualidade.
Espero uma visita ao meu espaçoHelena
(http://novamulher)
(mailto:coimbrinha3@yahoo.com.br)


De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2006 às 20:38
adoro os poemas de maria tereza horta... sem pudores, sem preconceitos... bem direitos ao assunto! gostei... a foto tb! beijinho frutadoanita
(http://frutoproibido.blog.pt)
(mailto:anateixas@portugalmail.com)


De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2006 às 19:35
Nem sei o que dizer.... Está bonito!*Ana
(http://www.anagarcia.blogspot.com)
(mailto:anagarcia69@sapo.pt)


De Anónimo a 16 de Fevereiro de 2006 às 18:49
Mas que erotismo...Gostei de lêr, bastte forte, mas sincero, sem pudores!LOllll....Abraço grande!Gaybriel
(http://www.silenciosentido.blogs.sapo.pt)
(mailto:amor_amizade_1980@hotmail.com)


Comentar post