Segunda-feira, 11 de Julho de 2005

o ATO














O Ato

Nossos corpos se abraçam, as mãos se entrelaçam.
Nos olhos o desejo, nas bocas que se unem a ânsia dos beijos.
A respiração se entrecorta.
Minhas mãos acariciam seu corpo, que responde ao meu em busca da posse.

Meus seios, nas suas mãos, duas taças que transbordam
o vinho do prazer.
Suas mãos, as minhas...caminham entre nossas pernas,
buscando passagens secretas.
A fenda que umedece, se abre, recebe o falo ereto
que penetra, mete, arremete, se inunda de louco prazer...

Minha voz num sussurro, tenta eliminar seu cansaço...
Sua fronte no meu colo pousa, serena, em descanso...
Minhas mãos,
Qual plumas, passeiam ávidas pelo teu corpo...
Minha boca te acaricia e no mais profundo do teu ser...
Vem amparar teu gozo.

Sempre e mais, nos debatemos nesse desejo louco,
que cresce, entumece, alaga e despe nossas almas
e nos faz feliz, por ora...
Com tão pouco!


(Asta Vonzodas)





















publicado por vagueando às 09:14
link do post | comentar | favorito
|
6 comentários:
De Anónimo a 4 de Agosto de 2005 às 15:39
Nossos corpos se abraçam, as mãos se entrelaçam. Nos olhos, o desejo, nas bocas que se unem a ânsia dos beijos. Sempre mais e mais, nos debatemos nesse desejo louco, que cresce, entumece, alaga e despe nossas almas e nos faz feliz...eu
(http://hotmail.com)
(mailto:carmoroby@hotmail.com)


De Anónimo a 24 de Julho de 2005 às 11:46
É lindo o que escreves. Mt sensual ... Obg pelas palavras .. Vou voltar sempre. Bjssarita
(http://amantedemim.blogs.sapo.pt)
(mailto:scrodriguez@sapo.pt)


De Anónimo a 18 de Julho de 2005 às 23:31
Passei para ver se havia mais ;-)
notifica-me quando houver um novo post ok?
JinhosPerfect Woman
(http://perfectwoman.blogs.sapo.pt/)
(mailto:perfect_woman63@sapo.pt)


De Anónimo a 15 de Julho de 2005 às 21:44
ODE AO MEU CAVALEIRO ERRANTE, OCAVALEIRO DA ROSA

Sempre me sentei no alçado das janelas dos castelos a olhar alinha de horizonte à espera de ver chegar o meu "Cavaleiro Errante". Traz uma capa de burel azul marinho, com as armas bordads por mim, sobre o lado esquerdo, a seda amarelo-oiro e uma rosa vermelho-sangue! (será este o sinal?). Sempre fugi aos "favores" do rei e por isso "fogueira" comigo...

Se o tempo estivesse à venda, vendia-o!
Vendia até a razão...
Só eu, não me quero à venda!

Liberto das velhas fanfarras de heroísmo,
que ainda nos assaltam o coração e arazão,
-longe dos antigos assassinos!-

Oh! estandarte de carne sangrando,
sobre a seda dos mares
longe das antigas retiradas,
e dos velhos incêndios,
que ainda sentimos ainda ouvimos.

Ó Amor, Ó Música, Ó Mundo!
Formas,suores, cabelos e olhos.
E lágrimas ferventes
e suores agrestes -ó doçuras!-
e os nossos gritos comuns,
chegados ao fundo dos vulcões,
e a todas as grutas...

Muitos, Muitos, Muitos, Muitos, Muitos Beijos
Muita, Muita, Muita, Muita, SAUDADE!marianela
</a>
(mailto:msantosilva@msn.com)


De Anónimo a 15 de Julho de 2005 às 12:40
Muito bonito mesmo!! Gostei dessa sensualidade...
Grata pelas palavras deixadas num dos meus blogues, espero que vá conhecer os outros... ;)

Abraço ;)Menina_marota
(http://meninamarota.blogspot.com/)
(mailto:menina_marota@sapo.pt)


De Anónimo a 12 de Julho de 2005 às 13:56
Gostei, está sensual. Poderia até dizer um pouco erótico.
jokas Perfect Woman
(http://perfectwoman.blogs.sapo.pt/)
(mailto:perfect_woman63@sapo.pt)


Comentar post