Terça-feira, 11 de Outubro de 2005

Definições de Sexualidade................

image001.gif Pintura. Francesca da Rimini. Ary Schefer. 1835.


Para a maioria das pessoas, falar de sexualidade remete imediatamente ao acto sexual e à reprodução.


Mas a sexualidade é muito mais abrangente.


Pode ser definida como uma forma de expressão dos afetos, uma maneira de cada indivíduo se descobrir e descobrir os outros.


 A sexualidade engloba a identidade sexual (masculina e feminina);


os afetos e a auto-estima; as alterações físicas e psicológicas ao longo da vida;


o conhecimento anatômico e fisiológico do homem e da mulher; a higiene sexual;


a gravidez, a maternidade e a paternidade; métodos anticoncepcionais; doenças sexualmente transmissíveis;


os transtornos sexuais, entre outros.


A visão do sexo com finalidade reprodutiva foi uma norma de comportamento que vigorou com bastante força no Ocidente até o final do século XIX. Assim, toda atividade sexual – como a masturbação, a busca do prazer, as relações homossexuais – que fugia desse paradigma era considerada anormal. Freud foi um dos pioneiros que rompeu com esse conceito, ao afirmar que o sexo não tinha somente a função reprodutiva, pois ia além dos órgãos sexuais.


De acordo com o conceito contemporâneo, a sexualidade é uma experiência individual regida por diferentes desejos e condutas que a tornam um processo absolutamente pessoal e natural.


A forma como cada indivíduo se percebe como um ser sexual, é intrínseca à sua natureza e não pode ser modificada por fatores externos como a moral, a religião e a imposição de papéis sexuais, sem que isto resulte em grande sofrimento e angústia.


 De acordo com a Organização Mundial da Saúde, "a sexualidade humana forma parte integral da personalidade de cada um.


É uma necessidade básica e um aspecto do ser humano que não pode ser separado de outros aspectos da vida.


A sexualidade não é sinônimo de coito e não se limita à presença ou não do orgasmo.


 Sexualidade é muito mais do que isso.


É energia que motiva encontrar o amor, contato e intimidade, e se expressa na forma de sentir, nos movimentos das pessoas e como estas tocam e são tocadas.


 A sexualidade influencia pensamentos, sentimentos, ações e integrações, portanto, a saúde física e mental.


Se saúde é um direito humano fundamental, a saúde sexual também deve ser considerada como direito humano básico.


A saúde sexual é a integração dos aspectos sociais, somáticos, intelectuais e emocionais de maneira tal que influenciem positivamente a personalidade, a capacidade de comunicação com outras pessoas e o amor".


*Museu do sexo(Sala Conceitos da Sexualidade)

publicado por vagueando às 01:48
link do post | comentar | favorito
|
7 comentários:
De Anónimo a 11 de Outubro de 2005 às 22:21
"A sexualidade é intrínseca ao ser humano, neste caso, apenas precisa de quem a desperte..."! Beijoeu
</a>
(mailto:carmoroby@hotmail.com)


De Anónimo a 11 de Outubro de 2005 às 17:31
Carlos, a cada artugo aumenta a surpresa. Parabéns! BeijoMaria Papoila
(http://apapoila.blogs.sapo.pt)
(mailto:msantosilva@sapo.pt)


De baltazar a 15 de Abril de 2010 às 11:09
Acho com é, que a sexualidade é muito importante nos tempos que correm. Já aos tempos que andam e os que param a sexualidade não é muito importante?
quero aqui anunciar o meu amor pela minha mãe. pois já dormi com ela. E não só, pois também estava la o meu pai.


De Emilia a 15 de Abril de 2010 às 11:24
ola acho que isto da sexualidade é só teoria porque se chega a pratica isto não passa de uma utopia sem interesse, porque na realidade estamos presos a grilhetas de medo que não nos deixa expressar o que sentimos na devida altura.
A sexualidade é muito bonita na teoria mas por amor de Deus não sejamos hipocritamente estúpidos.


De malicioso a 15 de Abril de 2010 às 11:26
a sexualidade ao fim ao cabo é meter a pila na vagina


De baltazar a 15 de Abril de 2010 às 11:31
Os ursos-polares acasalam entre os meses de Março e Junho, com implantação diferida dos óvulos fecundados, de modo que o período de gestação se torna muito longo, entre 200 a 265 dias, variando de acordo com as condições ambientais.

As crias nascem entre Novembro e Janeiro, no abrigo invernal construído pela fêmea, e não se separam da mãe até completarem dois anos de idade. Nascem cegas e pesando muito pouco em relação ao peso adulto, sendo um dos filhotes menos desenvolvidos dos mamíferos eutérios.


De mamas a 15 de Abril de 2010 às 11:37
sexualidade é isto Nissan Fairlady Z Version R Twin Turbo 2by2


Comentar post