Sexta-feira, 11 de Novembro de 2005

As minhas recordações do São Martinho

sorraia.jpg


Imponente, Elegante, Bravo, o CAVALO entra no imaginário de todos nós, desde a infância, como um animal que desafia todos os obstáculos, desde o inimigo no campo de batalha das histórias infantis até ao touro na arena.

A Festa do Cavalo na Golegã.

As raízes da Feira Nacional do Cavalo, ou vulgarmente conhecida como Feira da Golegã, remontam o século XVIII quando a Feira era chamada Feira de São Martinho. A Feira foi criada com a intenção de promover o comercio de produtos agrícolas da região da Golegã que tem solos muito férteis. Ao mesmo tempo, os cavalos começaram a participar na Feira devido à existência de importantes criadores nos campos da Golegã.
Em, 1883, o Marquês de Pombal dava abertamente o seu apoio aos criadores para a apresentação dos seus cavalos. Com o tempo, o cavalo Lusitano tornou-se na principal atracção da Feira e pessoas de todo país começaram a vir à feira para ver e comprar cavalos. Mais tarde, com a divulgação do cavalo Lusitano no Estrangeiro a Golegã começou a receber visitantes dos mais diversos países. Em 1972, de forma a reflectir a importância dos cavalos na Feira esta passou a ser chamada Feira Nacional do Cavalo. Tradicionalmente o dia mais importante da feira é o 11 de Novembro (Mendes, 1988).

A história de São Martinho, reza a lenda que, "num dia tempestuoso ia São Martinho, valoroso soldado romano, montado no seu cavalo, quando viu um mendigo quase nu, tremendo de frio, que lhe estendia a mão suplicante... S. Martinho não hesitou: parou o cavalo, poisou a sua mão carinhosamente na do pobre e, em seguida, com a espada cortou ao meio a sua capa de militar, dando metade ao mendigo. E, apesar de mal agasalhado e sob chuva intensa, preparava-se para continuar o seu caminho, cheio de felicidade. Mas, subitamente, a tempestade desfez-se, o céu ficou límpido e um sol de Estio inundou a terra de luz e calor. Diz-se que Deus, para que não se apagasse da memória dos homens o acto de bondade praticado pelo Santo, todos os anos, nessa mesma época, cessa por alguns dias o tempo frio e o céu e a terra sorriem com a benção dum sol quente e miraculoso." É o chamado Verão de São Martinho!"


“Neste Frio de Outono
São Martinho a chegar,
Traz castanhas quentes e boas
No seu cavalo a galopar.”


O olhar o CAVALO, as lindas amazonas, cavaleiros, charretes, é o cavalo no seu expoente, o REI da festa.
Por lá passam criadores, feirantes, lavradores, toureiros, sendo uma atracão que leva gente de toda a parte.
As ruas enchem-se de feirantes, casas particulares transformam-se por uns dias em tasquinhas,
Peões, cavalos, charretes disputam as ruas.
Reina a alegria, a FESTA, são as festas nas herdades, festa de garbo e de vaidades, também.
O Largo do Arneiro é uma autentica passarelle de passagem de modelos e trajes de montar.
É toda a envolvente, com as castanhas e a água pé, faz do
São Martinho na Golegã parte do meu crescimento.
O ir lá é para mim um repositório de memórias que todos os anos abro.

E por ser parte do meu crescimento não podia deixar de o dizer.
publicado por vagueando às 17:58
link do post | comentar | favorito
|
16 comentários:
De Anónimo a 2 de Janeiro de 2006 às 17:13
Bonito falar das festas da Golegã, também eu fui criada uns tempos no Ribatejo e adoro o vinho dessa região não há nenhum como ele, feito com uvas do Mochão nas areias, do rio da minha aldeia como dizia Fernando Pessoa. Um abraço
Aldora
aldora
(http://gatinhosvoadores.blogspot.com)
(mailto:aldoramira@sapo.pt)


De Anónimo a 13 de Novembro de 2005 às 11:37
as tuas recordações levaram-me até à minha infância, às minhas idas à Golegã com os meus pais à Feira de S.Martinho, mais tarde voltei já adolescente com o meu pai e revivi todos os momentos, foi um saborear diferente, mais consciente e belo, hoje sinto saudades da mão que partilhava comigo aquela alegria da Festa do Cavalo na Golegã
ler-te fez-me lembra e sentir-me de novo na Golegã na festa do cavalo

um abraço

lena
lena
(http://uma_cabana.blogspot.com/)
(mailto:lua_gira@hotmail.com)


De Anónimo a 13 de Novembro de 2005 às 01:53
Da feira da Golegã já muito ouvi falar e sempre bem... Espero no próximo ano lá ir para confirmar as opiniões!

Qto à história de São Martinho, essa não a conhecia...
Já aprendi algo contigo hoje ;) Obrigada!

Cumprimentos e bom Domingo!mar_praia
(http://mar_praia.blog.pt)
(mailto:marpraia@gmail.com)


De Anónimo a 13 de Novembro de 2005 às 01:43
Belissimoooooooooo...sabes que quase ninguem conhece a historia de São Martinho?
Os meninos do infantario onde trabalho sabem-na todinha de cor e salteado rsrsrs mas os pais nem sabem pk se festeja o tal dia....rsrsrsr. Coisas de adultos!!! E a homenagem ao cavalo foi uma ideia bafulosaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa é o meu animal favorito.Ana Luar
(http://aromademulher.blogs.sapo.pt/)
(mailto:luar_zita@msn.com)


De Anónimo a 12 de Novembro de 2005 às 22:44
Gostei muito das definições.. recordar definindo e vivendo de certa forma cada frase e cada momento. Pelo menos também deu para criar o cenário e imaginar o que está escrito:).. sim, arroz de miscaros é excelente:) []Ser-se em Palavras
(http://www.longtakk.blogs.sapo.pt)
(mailto:golden_sky_@hotmail.com)


De Anónimo a 12 de Novembro de 2005 às 22:34
Ventos esbarram com água
pássaros sem asas dominam o Céu
Vidros mutilados
Pelas imagens frustradas
São esvairadas lágrimas de sangue
de um coração petrificado.

Sentimos inertes
de um inexistente brilho de glória.

Paisagem imaginada,
inviolável, num limite de espaço
que é só meu.gi
(http://essenciademim.blogs.sapo.pt)
(mailto:gina.pinto@sapo.pt)


De Anónimo a 12 de Novembro de 2005 às 20:19
Boa noite...passei para agradecer a visita e o poema e conhecer este teu cantinho.Gostei muito do que por aqui vi e espero voltar mais vezes...espero que também regresses.
BeijinhosAislin
(http://omeuladolunar.blogs.sapo.pt)
(mailto:aislin_80@sapo.pt)


De Anónimo a 12 de Novembro de 2005 às 16:10
Olá, parabéns pelo blog, está muito demais...
Beijinhos doces!!!suzydiabinha
(http://vaguenado.blogs.sapo.pt)
(mailto:susanagaspar@portugalmail.com)


De Anónimo a 12 de Novembro de 2005 às 15:29
Apreciei a leitura das suas recordações do S. Martinho.Maria do Céu Costa
(http://www.maisquepalavras.blogs.sapo.pt)
(mailto:mariaceucosta@sapo.pt)


De Anónimo a 12 de Novembro de 2005 às 11:11
A partilha das tuas recordações... é um acto generoso. Es surpreendente! Uma viagem no teu imaginário e tudo é tão diferente.Saltitas do mais intimo para o mais popular;envolves tudo em sentimento, em sabor, em aroma, sentas-nos á tua mesa, ofereces o teu cavalo, contas-nos historias...é bom, passear contigo neste Outono.fernanda
</a>
(mailto:fernandaragonez@hotmail.com)


Comentar post